A cada 26 pedidos feitos via web, um deles é fraudado — foi o que revelou a revista Pequenas Empresas Grandes Negócios em 2016, alarmando donos de lojas virtuais por todo o país.

Isso representa quase 4% de todos os pedidos analisados, com uma estimativa de 42 milhões de brasileiros vítimas de crimes online naquele ano. Para efeito de comparação, uma pesquisa anterior, realizada em 2015, constatou que o percentual era de apenas 1,5%, mas que mesmo assim representaria um prejuízo de R$30 milhões.

Em 2017, cuja previsão de receita para o comércio eletrônico será de R$ 60 bilhões, os gestores de e-commerce fazem bem em se armar contra os fraudadores, que vêm se atualizando e criando novos e ousados métodos. Caberá ao bom varejista usar de todos os meios disponíveis para não ser mais uma vítima desse crime.

Segundo uma pesquisa recente da Ingenico, empresa global de meios de pagamento, o Brasil é o país com maior índice de fraudes online do mundo, posicionando-se muito acima dos demais países avaliados (seu índice foi de 3,55%, quase 6 vezes maior que a média mundial de 0,6%). E isso não se resume apenas às nossas fronteiras, como observado, por exemplo, no ataque hacker brasileiro a usuários portugueses dos cartões Visa, que tiveram seus cartões clonados e usados ilegalmente no Brasil.

Há várias formas de se cometer fraudes em compras online, porém a mais famosa é o uso indevido ou ilegal de dados de cartão de crédito, que pode acontecer por furto, clonagem ou pelo próprio usuário — a chamada fraude efetiva. O problema é que pode levar meses até que o lojista identifique todos os golpes praticados, e, até lá, o chargeback (reversão da compra) já terá provocado efeitos bem prejudiciais ao negócio.

Mas como usar seu ERP para prevenir golpes como esse?

Além de contratar um bom serviço antifraude para proteger seu negócio da ação de golpistas, o maior segredo para prevenir fraudes na sua loja é saber identificar movimentações suspeitas enquanto elas ainda estão sendo feitas.

Portanto é fundamental que todos os setores da empresa estejam de olho, e para isso o ERP deve ser uma poderosa ferramenta capaz de verificar múltiplas vezes e por meio de vários fatores as movimentações da loja.

Vamos explicar como:

Cadastro de Clientes

Ao perceber que algum comprador está fazendo compras sucessivas de pequeno valor, isso pode ser a ação de um tipo de fraudador conhecido como “testador de cartão”. Testadores fazem compras menores, que não chamam atenção, para testar se o cartão clonado já está funcionando.

O cadastro de clientes permite que você observe o comportamento dos clientes da sua loja online e identifique possíveis testadores no ato, podendo se armar contra eles e evitar prejuízos.

Cadastro de Produtos

Quando o cartão é testado e funciona, é hora de o fraudador aproveitá-lo ao máximo antes que a fraude seja descoberta. Fique atento aos produtos de maior valor na sua loja. Eles são um alvo comum, uma vez que possibilitam extrair o máximo do cartão em uma única compra. Esse acompanhamento deve ser feito em conjunto com o setor de Estoque, que identificará quando esses itens são movimentados.

Compras

O ticket-médio é um dlaptop-868816_1920ado importante para identificar o seu comprador padrão e é fundamental para se ter um ponto de comparação com movimentações suspeitas, tais como uma compra completamente fora desse padrão, como em grande quantidade ou composta de vários itens de valor elevado.

Outra informação que a parte de compras pode cruzar na verificação de fraudes é o horário de compras, já que, como explica a Serasa Experian, boa parte das fraudes costuma acontecer de madrugada.

Financeiro

Este é o setor onde devem ser concentrados os esforços para identificar fraudadores, já que nele todas as informações anteriores podem ser cruzadas e o alerta de fraudes pode ser dado, sendo inclusive de onde, muitas das vezes, partem os esforços para a verificação do golpe.

Tal verificação pode ser feita diretamente, via e-mail ou através da procura nas redes sociais do responsável (quando possível), ou indiretamente, contatando seu serviço antifraudes para que este tome as providências adequadas.

ATENÇÃO: Os sinais de uma fraude são os mesmos de uma compra normal ou de um novo cliente muito lucrativo, portanto muito cuidado na abordagem!

A melhor opção é não contar apenas com seu ERP para identificar fraudes, mas com um bom serviço antifraude, que dispõe do devido preparo para analisar ainda mais fatores de um modo mais abrangente e com uma base de dados que permite confirmar suspeitas com mais segurança.

Com a Black Friday e o Natal há apenas alguns meses de distância, agora é a hora de se preparar. Para isso, conte com o melhor ERP para e-commerce do mercado: SOFTVAR!

VENHA PARA A SOFTVAR!

Artigo atualizado. Publicado originalmente em 30 de agosto de 2016.

Written by Renato Binotto